Algumas sugestões para quem anda cansado…

Não sei se estão a sentir o mesmo que eu. Mas fico sempre com a sensação de que “este” é o ano em que estou mesmo a precisar de férias… E, ou me engano muito, ou tenho sempre o mesmo pensamento, todos os anos, nesta altura. Mas, de facto, estou mesmo cansado. Aqui vão umas sugestões para recuperarmos a nossa energia.

1. Faça por dormir bem. Já tenho dito e repetido aqui inúmeras vezes que o povo tem razão quando diz “dormir é meio sustento”. E é mesmo. Muitos estudos o dizem. O repouso é decisivo. Mas é tanto mais decisivo quando se faz nas horas adequadas. O nosso corpo obedece a ritmos que estão fora do nosso controlo. São os chamados ritmos circadianos. Isto significa que o nosso ritmo biológico tem flutuações ao longo do dia que devem ser respeitadas. Não é o mesmo dormir das 5 da manhã à 1 da tarde do que das 11 da noite às 7 das manhã. São 8h mas com efeitos completamente diferentes. Aquela ideia de que podemos compensar… não é de grande agrado da nossa biologia. Sei que “uma vez, não são vezes” mas, de todo o modo, não exagerem. Dormir é à noite porque o nosso corpo tem milhares de anos de treino a respeitar esses ritmos. Não vamos estragar tudo agora…

2. Mantenha-se bem alimentado. Não deixe passar mais de 3 h sem comer. E sabe porquê? Porque muito do nosso desempenho, intelectual e físico, depende da quantidade de açúcar que temos no sangue (glicemia). Quando ficamos muito tempo sem comer, as nossas reservas vão baixando, o “depósito” vai ficando vazio e o rendimento vai diminuindo. Como se vê na figura abaixo, quando estamos muito tempo sem comer, ficamos “fracos” e lá vem a fome e com ela a tendência de ingerirmos alimentos muito calóricos. Essa ingestão faz aumentar bruscamente o açúcar no sangue. Como não vai ser utilizado de imediato… acumula-se sob a forma de gordura. Os americanos usam uma expressão muito interessante: “from the lips to the hips “ (dos lábios para as ancas…). Pelo contrário, se comermos frequentemente e de forma racional, mantemos o “depósito” sempre estabilizado, gerimos melhor o peso porque pequenas quantidades frequentemente podem ser usadas e não armazenadas… e ajuda-nos a não sentir aquelas fases de falta de energia ao longo do dia. Para já não falar na irritabilidade e falta de paciência quando estamos com “pouco açúcar”…

3. Evite açúcares simples. Ou seja, a tendência quando estamos a trabalhar e nos começamos a sentir cansados é a de recorreremos ao mais fácil e óbvio. Umas bolachas, um refrigerante, um pedaço de chocolate ou um bolo. Ainda que a sensação imediata seja agradável, percebo isso, mas não é um bom combustível. Por um lado, como se vê no gráfico, dá um aumento abrupto da glicemia, com as consequências que falamos atrás, mas também porque passado pouco tempo… estamos de novo com vontade de comer. Porque (i) o açúcar é pouco saciante e (ii) porque a sensação agradável do açúcar é um pouco aditiva. Isto é, umas bolachas de chocolate “tiram” a fome mas por pouco tempo e, pior ainda, é que depois das três que comemos, o nosso cérebro, passado pouco tempo, vai-nos pedir para acabar com o pacote…  Leve umas pequenas sandes de pão escuro com um pouco de queijo ou fiambre e vá comendo ao longo do dia. E se meter uma banana na pasta e for dando umas “trinquinhas” vai ver que se sente bem melhor. E, para além de tudo, é bem mais barato!

4. Apanhe sol. Também já aqui falei disto. O sol é decisivo, não só para regular o nosso ritmo biológico, mas também porque está associado à libertação de substâncias que nos dão uma sensação de bem-estar e são também retemperantes. De resto, o sol é tão importante que, na sua falta, a tendência para alguns tipos de depressão aumenta substancialmente. E já para não falar da vitamina D. Não exagere, mas apanhe sol. Proteja-se mas saia de casa.

5. Tome um chã. Sugiro um chã verde. Não só é rico em anti-oxidantes como tem cerca de 1/3 da quantidade de cafeína do café com efeitos semelhantes no nosso estado de alerta. Para além disso, enquanto toma um copo ou chávena de chã frio (sem açúcar…), acaba por parar um pouco e recuperar. Lembre-se que estas paragens são decisivas para recuperar…

6. Coma alimentos ricos em magnésio. Esta substância é um excelente retemperador funcionando como desfatigante e, simultaneamente, estimula as nossas defesas e reforça o nosso sistema muscular esquelético. Umas sugestões: banana, uva, beterraba, leite, grão de bico, etc.

7. Se a sua fadiga persistir, consulte o seu médico. A fadiga prolongada é um sinal de alerta para alguns tipos de doença. Não vale a pena alarmar, mas vigie. Não atribua tudo ao trabalho.

 

Bom descanso!

Último comentário
Seja o primeiro
a comentar
este artigo.

Envie o Seu Comentário

Todos os comentários que colocar mostram o seu nome. Ao enviar um comentário está a aceitar os nossos Termos e Condições.

*Campos obrigatórios