Exercício na adolescência

Ouvimos sistematicamente dizer que os jovens actuais estão bem mais interessados no Facebook, nos blogs ou no Messenger do que no exercício e no desporto. Cada vez se mexem menos, cada vez estão mais gordos e menos disponíveis para qualquer actividade que exija esforço físico. Verdade? Não. Nunca houve tantos jovens a praticar desporto como há agora (veja-se o número de atletas federados). Nunca houve tantos incentivos à prática dos desportos de competição como agora (atente-se nos campeonatos universitários, nos “indoor soccer”, nos jogos da juventude, etc.) e, paralelamente, nunca houve tanta gente descondicionada como agora. Como será isto possível e o que poderemos fazer para atenuar esta tendência?

Para respondermos a todas estas questões, temos em primeiro lugar que perguntar se os meios que dispomos para aliciar os adolescentes para o exercício e para o desporto são semelhantes aos que os levaram a aderir de forma tão massiva aos meios digitais. É claro que não. Nunca me pareceu que estimular jovens a praticar exercício passasse por convencê-los que sendo sedentários têm mais probabilidades de virem a ser obesos, hipertensos, diabéticos ou a morrerem mais cedo por um acidente vascular. São problemas que, para a maioria, estão ainda muito distantes. Pensam que não vale a pena preocuparem-se porque sentem-se saudáveis, com toda a força do mundo, de resto típica da adolescência.

 

Por outro lado, usa-se uma linguagem que, na maioria das vezes, não é a deles. Para podermos contactar com este grupo etário (de quem sou fã) temos de utilizar meios comuns. Será que lhes interessam temas como a diabetes ou a dislipidemia? Ainda que sejam factores muito importantes em termos de saúde, sem dúvida, mas a forma de passar a mensagem terá de ser adaptado ao alvo. E estes jovens não são propriamente muito ligados a questões relacionadas com doenças que eles consideram de “cotas”. Tratemos desses assuntos, mas “embrulhemos” a mensagem em algo mais atraente.

 

Parece-me que a forma de levar esta geração a aderir a estilos de vida mais saudáveis passa por outras estratégias. Até porque hoje as neurociências vieram demonstrar que os cérebros dos adolescentes estão ainda em transformação profunda e que a sua estrutura e função está muito associada a atitudes e comportamentos de risco. É uma questão de ligações sinápticas que precisam de ser aperfeiçoadas.

 

Parece-me mais ajustado utilizar argumentos que se direccionam para as suas preocupações imediatas como sejam as questões que se relacionam com a sedução, entendida no seu âmbito mais alargado. Aqui vão alguns exemplos estratégicos de pormos esta geração multi-tarefas a integrar o exercício e o desporto nas suas agendas digitais.

 

 

 

1. O exercício torna-te mais sexy, porque ficas com menos gordura (as meninas já podem usar as camisolas curtas mais facilmente), com mais massa muscular e com uma aparência bem mais saudável. O teu corpo fica mais tonificado e algumas das roupas que pensavas nunca vir a usar, podes vir a vesti-las sem correres o risco de te sentires um “nerd”. Pensa nos surfistas…

 

 

 

2. O exercício torna-te mais bem-disposto. A prática regular de uma actividade física está associada a uma melhoria do humor, por um lado, aumentando a auto-estima, por outro. Isto é, ao fazeres exercício libertas substâncias que te tornam menos ansioso e melhor humorado e ao sentires-te melhor fisicamente vais sentir-te mais confiante;

 

 

 

3. O exercício é um excelente meio de convívio. Esta é a principal razão porque os ginásios estão cheios de gente que se arranja para as aulas como se fossem para uma festa. É um local, e ainda bem, de intensa interacção social. Ou seja, ultrapassa em muito os meros aspectos de culto do físico. O exercício, pela proximidade, propicia um conjunto alargado de relações sociais que se tornam uma das suas principais vantagens para todas as idades, em geral, mas para os mais activos (adolescentes…), em particular;

 

 

 

4. Há exercícios para todos os gostos. Se gostas de correr, corre, se gostas de dançar, dança, se gosta de skate, pratica, se gostas de patins em linha, treina, etc. Há dezenas de possibilidades de fazeres exercício. Umas mais divertidas do que outras, umas mais adaptadas que outras à tua personalidade e motivação, mas há sempre algum tipo de actividade que se vai encaixar. Não tenhas é medo de começar. Já que gostas de arriscar, porque não experimentas o skate? Sei que nas primeiras vezes vais cair. Mas torna essa situação num desafio e num divertimento. Não tenhas medo de rir de ti próprio. Descontrai e faz bem ao ego. Tem pena dos que se levam demasiado a sério!

 

 

 

5. O exercício é barato e é divertido. Com metade do dinheiro que gastaste nessas sapatilhas “fashion” podes comprar 2 pares para correres. Já imaginaste chegar o verão e não caberes no biquíni ou nos calções? E quando cabes, sobra corpo para o tamanho do fato de banho? Não penses no que te pode acontecer daqui a 20 anos. Pensa que podes divertir-te, tornando-te mais saudável e atraente. Queres melhor por tão pouco?

 

 

 

TPC (para os pais)

 

1. Não force o seu filho a fazer a actividade de que o pai gosta. Deixe-o tentar encontrar a que mais se adapta ao seu estilo;

 

2. Não recrimine por o seu filho estar sempre a mudar de actividade. Sei que custa ver o filho hoje interessado por skate, amanhã pelo surf e depois pelo basquetebol. É difícil, mas tem de aguentar. É bem melhor do que não se interessar por nada. Ou não é?;

 

3. Se ele prefere ir sozinho, não insista em ir acompanhá-lo. Os miúdos precisam do seu espaço;

 

4. Se ele tem peso a mais ou está “gordinho” não o massacre com referências à saúde. Utilize antes argumentos mais adaptados às motivações dele (beleza, roupa, etc.);

 

5. Não se esqueça que para entusiasmar o seu filho a fazer alguma actividade física não o pode fazer sentado no sofá a beber cerveja e a fumar um cigarro. Um exemplo vale mais do que mil palavras. Concorda?

 

 

Último comentário
Seja o primeiro
a comentar
este artigo.

Envie o Seu Comentário

Todos os comentários que colocar mostram o seu nome. Ao enviar um comentário está a aceitar os nossos Termos e Condições.

*Campos obrigatórios